Foi aprovado ontem o projeto que torna obrigatória a implantação do programa de coleta do óleo nas empresas que trabalham com refeições e que manuseiam óleos vegetais de cozinha no município. Pelo projeto, o material deve ser destinado para produção de sabão, biodiesel e outros derivados.
Os pontos de coleta serão estabelecidos pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente, em parceria com as escolas de rede pública, empresas e entidades. Para o recolhimento, manuseio, tratamento, armazenamento e reaproveitamento dos resíduos, o município poderá firma parcerias com escolas e cooperativas de recicladores.
Conforme o autor da iniciativa, o vereador Mário Gabardo (PMDB), o projeto prevê, ainda, a possibilidade de criação do “Selo de Responsabilidade Ambiental” para incentivar a ampla participação da comunidade. “Nossa intenção é preservar o meio ambiente, através da prática da educação ambiental, tento como a meta de inserir Bento no rol de municípios que adotam atitudes inovadoras”, explica Gabardo.
A Secretaria Municipal do Meio Ambiente já disponibiliza 57 pontos de recebimentos de óleo de cozinha usado, a maioria em escolas da rede pública. A proposta seria de ampliar a iniciativa da Secretaria, que recolhe e entrega o óleo para uma fábrica de biosiesel a custo de R$ 0,15 o litro.Fonte: Gazeta de Bento Gonçalves | 23 de novembro de 2009